23 de janeiro de 2015

Kobe Bryant poderia substituir Charles Barkley na TNT



Primeiro de tudo, esse boato surgiu antes da lesão de Kobe e não sabemos o rumo que o menino Mamba tomará nos próximos dias. Só que segundo relatos da Yahoo! Sports, o astro do Los Angeles Lakers poderá ser o sucessor de Charles Barkley na bancada do canal de televisão americana TNT (a que transmite a NBA com rodada dupla na quinta-feira). 

O contrato de Kobe encerra em 2016, mesmo ano que o acordo de Charles termina com a emissora. Fontes afirmam que o jogador gostaria de seguir trabalhando com o basquete, algo que ele faz há quase 20 anos. Se aposentando, ser um analista seria o caminho mais fácil. A ideia do canal é ver o aumento na audiência contando com a presença de Kobe nos comentários. Outro fato que seria espetacular é que ele dividiria a bancada com o amigo/desafeto Shaquille O'Neal. Alguma coisa bombaria mais que isso? 

Volto a repetir: essa especulação levantada pela Yahoo! Sports, um veículo de comunicação muito conceituado nos Estados Unidos, saiu antes da lesão no ombro. A expectativa é que o Mamba perca o restante da temporada. Aí surge a dúvida: ele se aposenta ou segue para mais uma temporada?

22 de janeiro de 2015

Nova lesão afasta Kobe por tempo indeterminado


O NBA League Pass está liberado! Entenda como aproveitar

O Los Angeles Lakers anunciou na tarde desta quinta-feira que o ala Kobe Bryant sofre com problema no músculo rotatório de seu ombro e que o jogador fica longe das quadras por tempo indeterminado. A lesão aconteceu durante a derrota dos Lakers para o New Orleans Pelicans, onde atuou por 30 minutos.

A organização da califórnia só ficou sabendo da contusão do camisa 24 no dia de hoje após uma ressonância magnética. Agora Kobe retorna imediatamente para Los Angeles e será examinado amanhã pelos médicos da equipe. São eles que vão determinar o tempo estimado de recuperação.

O que mais é instigante nessa história é que o desconforto apareceu no terceiro período em um lance simples. Até aí tudo certo. O problema é que Kobe seguiu jogando no terceiro período e foi até o final do último. Até o pessoal do LakersNation ficou indignado com a decisão do treiandor Byron Scott em manter o atleta que seguidamente vem sido poupado para descansar os músculos e o corpo. 

A má notícia para a torcida do Lakers é já houve problemas semelhantes na NBA e a maioria parou pelo mesmo tempo, precisando passar por procedimento cirúrgico. É um músculo do ombro que seguidamente está trabalhando por causa do ato dos arremessos. O último caso foi Patty Mills, campeão com o San Antonio Spurs. O australiano foi para a cirurgia e ficou longe das quadras por SETE meses. Voltou "novo' para defender o título com os texanos. 

As lesões estão fazendo parte da fase final da carreira do Kobe. Ele perdeu oito meses após a ruptura do tendão de aquiles. Retornou, jogou seis partidas e logo sofreu uma fratura no joelho que acabou com suas pretensões naquela temporada. Para 2014/2015, ele voltou determinado a ser o Kobe dos velhos tempos. Em um Lakers fraco e sem muitos talentos, o ala-armador estava com uma rotina de 35 minutos por jogo (EM SUA 19ª TEMPORADA!!!) e viu seu corpo dizer: "AMIGO, VAI COM CALMA". Desde então, Byron Scott e sua comissão começou a montar um programa de descansado.

Há quem diga que Bryant perderá o All-Star Game. É uma possibilidade. Se confirmar o que vimos nas votações, ele será titular e perderá mais uma vez o jogo das estrelas. Caberá a NBA decidir quem entrará no seu lugar.

Siga o Paixão NBA no Twitter

O PN quer saber: Quem será o MVP?

Esse ano o prêmio de MVP está muito disputado. Muitos nomes estão se destacando e abrindo uma bela discussão. Vou abrir uma enquete aqui no blog e conto com a colaboração dos senhores leitores para movimentar.





Quem votar no "Outro", justifique nos comentários. Fiquem à vontade.

Algumas informações sobre a All-Star Weekend


Pouco a pouco vamos sabendo novidades a respeito da semana do All-Star Game 2015, a conhecida All-Star Weekend. Também conhecida como aquela parada para respirada na temporada regular da NBA, a semana do jogos das estrelas reserva muitas emoções e concursos que movimentam o evento marcado para 13, 14 e 15 de fevereiro.

A primeira mudança será no estilo do Rising Stars Challenge, mais conhecido pelo jogo dos calouros e segundoanistas. Este ano a NBA vai usar um formato bem conhecido aqui no Brasil. Vai rolar uma partida entre os locais (americanos) contra o Mundo. Não entendeu? A liga vai reunir 10 americanos calouros e segundoanistas e vai fazer um duelo contra estrangeiros calouros e segundoanistas. Promete algo novo e válido.

Outra informação (não confirmada) é sobre os participantes do concurso de enterradas. Fontes importantes da liga relatam que Giannis Antetokounmpo, Victor Oladipo, Mason Plumlee, Zach LaVine e Andrew Wiggins surgem como os possíveis candidatos a participar do torneio. Um nome ainda falta a ser revelado, e ele será da conferência oeste (uma disputa de 3 do leste contra 3 do oeste).

Nessa quinta-feira, às 22h, serão anunciados os titulares da conferência leste e conferência oeste para a disputa do All-Star Game, a principal atração do final de semana em New York, no Barclays Center. Os reservas serão escolhidos a dedo pelo treinador da respectiva conferência.

Mais informações no @paixaonba.

21 de janeiro de 2015

Fique de olho em Kyle Korver


Quando você chega aos 33 anos de idade, é muito mais provável que você veja seu rendimento cair e a eficiência não ser mais aquela de anos atrás. É quase a lógica da vida. Mas há casos na NBA que o auge do cara acontece já na parte final da carreira. Podemos citar Kyle Korver como exemplo? Por que não?

O nosso glorioso Kyle Elliot Korver está prestes a completar 34 anos de idade e está em uma crescente formidável na carreira. Nem vou citar NBA, pois o trabalho que ele fez junto a seleção americana de basquete foi muito elogiada pelo Coach K e demais companheiros. Onde muitas estrelas foram cortadas, Korver seguiu firme e conquistou a medalha de ouro do Mundial de basquete realizado na Espanha. 

O Atlanta Hawks é a quarta franquia no currículo do ala-armador. Depois de passagens em Philadelphia 76ers, Utah Jazz e Chicago Bulls, ele chegou para ser apenas mais um no elenco do Atlanta Hawks. Chegou Mike Budenholzer, as coisas mudaram na Geórgia e cada atleta passou a ser fundamental no plantel. Hoje o time é o líder da conferência leste com sobras e totais merecimentos, está passando por cima dos principais rivais.

Hoje Korver é titular incontestável e seus números são impressionantes. Em um time onde todos são importantes e não é há uma super estrela, anota médias de 13,2 pontos, 4,2 rebotes e 2,9 assistências. 

O que impressiona é sua capacidade de arremessar, principalmente nos chutes de três:

53,6% é o aproveitamento nos chutes de três (128-239)
51,5% é o aproveitamento nos arremessos de quadra (171-332)
92,2% é o aproveitamento nos lances livres (71-77)

Já no arremesso de dois que, teoricamente, seria mais fácil (depende da situação do chute), Korver tem aproveitamento abaixo dos 50%: de 93 chutes, converteu 43 (46,2%).

Analisando mais seus chutes em 2014/2015, percebe sua eficiência. No 4Q, aquele que decide as pelejas, nosso amigo Korver chutou 65 bolas e acertou 40 (61,5%). Seu arremesso de três no último período é ainda mais mortal: 31-45 (68,9%). 

Quando o Hawks vence seus jogos (33 no total), e isso é algo bem comum, Kyle contribui com um aproveitamento de 53,1% nos arremessos. E quando o Hawks perde (apenas 8), ele chutou para 44,3%  (47,5% nas bolas longas). 

Nos jogos contra os rivais mais fortes do leste, o camisa 26 castigou TODOS!

Wizards: 6-12 FG (50%) e 5-9 3P (55,6%)
Raptors: 17-25 FG (68%) e 13-18 3P (72,2%)
Bulls: 11-19 FG (57,9%) e 11-17 3P (64,7%)
Cavs: 8-15 FG (53,3%) e 6-11 3P (54,5%)

Seria ele o primeiro jogador a anotar um 50-50-90? Quem diria que aquele reserva do Chicago Bulls e Utah Jazz, aquele carinha que teve um bom momento no Sixers e nada mais, subiria de produção desta maneira? Fique de olho nesse Hawks de Budenholzer. Fique de olho em Kyle Korver.

Dion Waiters: "Em Oklahoma, eles me passam a bola"


Siga o Paixão NBA no Twitter
Cássio e Diego Cavalieri duelam na quadra do Orlando Magic

O descontentamento de Dion Waiters em Cleveland era visível e não era recente. Alguns rumores de brigas com o armador Kyrie Irving foram relatados pela imprensa e o relacionamento do ala-armador com a franquia ficou insustentável. Até pequenas desavenças com David Blatt já estavam sendo criadas. A saída foi trocá-lo e mandá-lo direto para o Oklahoma City Thunder. Diferente de Ohio, ele recebe atenção dos companheiros e a bola.

"Parece que eu sempre estive aqui. Dá a impressão que eu sempre joguei com esses caras. Eles têm me tratado muito bem desde o início. Nos conectamos desde o início. Aqui ainda me passam a bola. Toco na bola de novo. Sinto que estou entendendo mais sobre o jogo. Sei quando devo arremessar e quando não é o momento. É uma equipe nada egoísta, que só quer ter sucesso."

Essas foram as próprias palavras do menino Waiters ao The Oklahoman. Nos 33 jogos que atuou com a camisa dos Cavaliers, anotou média de 10,5 pontos e jogando pouco menos de 24 minutos. Seu aproveitamento nos arremessos na antiga casa era de 40,4%. 

Já no Thunder, encostando mais na bola, ele atua mais de 27 minutos e anota 12,5 pontos (aproveitamento de 41,1%). A campanha do time de Scott Brooks é 4-2 desde a chegada do novo reforço, com direito a 3 triunfos consecutivos. Pela primeira vez na temporada, o Thunder aparece com campanha positiva, acima dos 50%.

Só para relembrar...

20 de janeiro de 2015

O NBA League Pass está liberado! Entenda como aproveitar


Creio que esta publicação não seria necessária, porém noto que muita gente ainda não está ligada e sei que vale a pena informar, em uma espécie de utilidade pública. Meus amigos, o NBA League Pass está gratuito para todo mundo. Ué, mas o que é NBA League Pass? É o pay-pay-view da liga. Você paga a assinatura mensalmente ou anualmente e assiste todos os jogos da NBA.

"Paixão NBA, eu já assisto todos os jogos. Está cheio de links espalhados por aí". A diferença do LP é a qualidade do serviço. Você pode assistir o jogo que quiser, colocar até quatro partidas ao mesmo tempo na sua tela, escolher o lance que quiser, captar as jogadas de determinado atleta... e tudo na mais alta qualidade.

Outro diferencial desse serviço, você pode assistir o LP no seu smartphone (também em HD) e acompanhar a NBA aonde você for. Eu, por exemplo, já assisti enquanto estive nas aulas chatas de Economia e Contabilidade na faculdade. É BOM OU NÃO É?

Pois bem, essa coisa divina está liberada de forma gratuita de 19 até 25 de janeiro. Para poder usufruir do pacote é apenas ir no site da NBA, ir na página do LP e fazer o cadastro. Feito isso, você precisa "assinar" o pacote. Por que assinar entre aspas? Você precisa colocar os dados do seu cartão, cadastrar seu nome e tudo, como se você pagar o LP. Como estamos na promoção, você não pagará nada. A única atenção que os senhores precisam ter é que tudo isso precisa ser cancelado logo após terminar essa promoção.

Muita gente esquece de cancelar e, após acabar a vida boa, começa a pagar. Entenderam porque vocês precisam informar os dados do cartão mesmo quando o LP está de graça? Muita gente aprova o serviço e paga para seguir assistindo os jogos da forma que quiser, porém há aqueles que esquecem de cancelar e pagam. É uma mini jogada da nossa querida ENEBEÁ.

Siga o Paixão NBA no Twitter e tire qualquer dúvida. Estamos aqui para auxiliar SEMPRE o amigo fã do melhor basquete. Aproveite o LP e faça a festa!

19 de janeiro de 2015

Doutrinando na China, Michael Beasley anota 59 pontos em All-Star local


A liga chinesa de basquete é uma espécie de MLS (Major League Soccer) do basquete. Tenta recrutar nomes conhecidos do público para impulsionar a popularidade da liga no país e potencializar o produto. Quando o atleta perde espaço na NBA, o caminho mais fácil teoricamente seria a Europa com seus torneios de alto nível e grandes times, só que nos últimos anos os chineses estão pagando altos salários e buscando muita gente.

Sabe quem anda doutrinando por lá? Michael Beasley. Ele mesmo. A segunda escolha do Draft de 2008 (atrás apenas de Derrick Rose) se perdeu nas drogas e, apesar de todo o talento, viu as portas se fecharem no melhor basquete do planeta. Foi para a China. Está arrebentando. 

Neste final de semana rolou a All-Star Weekend da CBA, a liga chinesa de basquete. Sabe o que o Beasley fez? Anotou 59 pontos e garantiu o prêmio de MVP. O ala atuou pelas estrelas do Sul, que derrotaram as estrelas do Norte por 142x123

Cotado para ser uma das estrelas do Miami Heat ao lado de Dwyane Wade, Beasley sempre foi um problema fora das quadras. Tentou a sorte em Minnesota e conseguiu sucesso no primeiro ano (19,2 pontos e 5,6 rebotes de média), porém logo caiu de produção. As passagens apagadas por Phoenix Suns e por Miami Heat (que lhe deu uma segunda chance) fizeram o ala tentar a sorte em outro lugar.

Suas atuações na China ainda rendem boas perspectivas. Talvez com a cabeça no lugar, ele consiga retornar à NBA. É novo, tem apenas 26 anos completados no início do ano. Não duvido que muito em breve receba um contrato de 10 dias de uma franquia americana, receba outro e mais tarde um contrato até o final da temporada.