17 de abril de 2014

Definidos os jogos da primeira fase dos playoffs


A temporada regular da NBA conhece o seu fim. Do dia 29 de outubro até 16 de abril, foram meses e meses de jogos. Cada equipe realizando os tradicionais 82 jogos. São muitas partidas? É. Vale pensar em algo para mudar isso pensando em diminuir as lesões dos atletas? Talvez. Enfim, isso é tema de futuros posts. Com o fim da temporada, os playoffs chegam com força e os duelos estão definidos. Confira:

Conferência leste:

Indiana Pacers vs. Atlanta Hawks
Miami Heat vs. Charlotte Bobcats
Toronto Raptors vs. Brooklyn Nets
Chicago Bulls vs. Washington Wizards

Conferência oeste:

San Antonio Spurs vs. Dallas Mavericks
Oklahoma City Thunder vs. Memphis Grizzlies
Houston Rockets vs. Portland Trail Blazers
Los Angeles Clippers vs. Golden State Warriors

A pós-temporada já inicia nesse sábado. Quando sair a tabela de partidas que terão transmissão na televisão brasileira, corro postar aqui nesse querido espaço. Aguardo os palpites dos senhores nos comentários. E aí, quem passa?

16 de abril de 2014

Os 8 pontos em 9 segundos de Reggie Miller


Com certeza ele é um dos maiores carrascos do New York Knicks. Sua rivalidade contra a franquia de New York é tão gigantesca que ganhou documentário. É óbvio que estou falando de Reggie Miller. Suas provocações à Spike Lee, sua gana de vitória no Madison Square Garden sempre ficaram na memória dos torcedores.

Hoje está na hora de falar do jogo 1 das semifinais de conferência leste. Após fazer uma campanha melhor na temporada regular, o New York Knicks tinha mando de quadra a favor no confronto contra o Indiana Pacers. Tudo parecia estar encaminhado para a vitória do time de Patrick Ewing e cia. A vantagem era de 6 pontos e somente 18,7 segundos para serem jogados. Quem imaginaria uma virada? Reggie imaginava.

Aqueles dezoito segundos no relógio era tempo necessário para virar, tomar um café e ainda tirar sarro do Spike Lee na beira da quadra. Toda reviravolta inicia quando Miller acerta um chute de três, diminuindo a vantagem dos mandantes para 3 pontos. Na saída de bola, os Knicks fazem besteira e a bola sobra para Reggie, que dá um passinho para trás e arremessa para empatar. Tudo isso em pouquíssimos segundos. Coitado do torcedor que pensou: "Vou no banheiro e já volto ver esse fim de jogo". 

Em sequência, John Starks tem a chance de colocar os Knicks na frente, porém ele perde os dois lances livres. Reggie Miller entra em ação novamente ao pegar o rebote e sofrer falta que deixou todo o ginásio indginado com a arbitragem. Ele converte os lances livres e, de forma incrível e imaginável, vira o jogo: 107x105.

São 8 pontos em questão de 8,9 segundos. O semblante de tristeza no banco dos Pacers quando tudo parecia perdido era visível. Ninguém poderia imaginar que aquele cidadão, levando o número 31 nas costas poderia fazer tudo aquilo. A franquia de Indianápolis venceu a série por 4x3 e avançou às finais de conferência (perderia para o Magic de Shaq por 4x3). E seguimos na espera dos playoffs!

15 de abril de 2014

Kobe? Shaq? ROBERT HORRY!


Os playoffs da NBA estão chegando, meus amigos! É hora de separar os homens dos meninos. Cada ponto é importante. Cada lance pode mudar o rumo de uma série. Como o Paixão NBA ama essa parte da temporada, vamos dar uma atenção especial.

Vou sempre tentar trazer grandes momentos, grandes lances, fatos, etc. sobre a pós-temporada. E olha que não falta coisa boa para ser descrita. Na minha humilde opinião, a única coisa ruim dos playoffs é o fato da temporada regular acabar e você notar que o fim está chegando. Depois são meses e meses sem o gostinho do melhor basquete do planeta terra.

Para começar bem, vou relembrar sobre um jogo lá das finais da conferência oeste. Tudo bem que o Los Angeles Lakers não passa por um bom momento, no entanto esse jogo vale a pena ganhar um destaque no blog. Após três jogos disputados, o Sacramento Kings vencia a série por 2x1. Por pouco, muito pouco mesmo não levou o jogo 4. Apesar de vir de dois títulos e contar com Kobe Bryant e Shaquille O'Neal, os Lakers tinham pela frente os Kings de Mike Bibby, Chris Webber e Vlade Divac.

Nos segundos finais, com desvantagem de dois pontos, Kobe atacou a cesta sem sucesso, Shaq tentou a cesta vencedora, porém a bola caiu CARINHOSAMENTE nas mãos de Robert Horry, o recordista de partidas em pós-temporada. O camisa 5, sem medo e com uma tranquilidade absurda, chutou e, no estouro do cronômetro, garantiu a vitória ao time de Phil Jackson. Staples Center explodindo, pulsando, vibrando, público em êxtase. O sonho ainda estava vivo.

A franquia angelina venceria a dura série em 7 jogos e bateria o New Jersey Nets nas finais da NBA. Foi o terceiro título CONSECUTIVO da franquia. Mas também vale a ressalva que acabava ali a "alegria" e parceria envolvendo Shaq e Kobe.

Cá entre nós... se essa bola do Horry não cai, o destino dessa série seria outro. Os Kings abririam 3-1 e só por um milagre não levaria a série. Venceria o Nets? Talvez. Mas como não trabalhos com "se", a história foi feita assim:

10 de abril de 2014

Miami Heat e Cleveland Cavaliers desembarcam no Brasil em outubro


Senhoras e senhores, hoje a NBA divulgou os jogos e os países que serão contemplados com o NBA Global Games. Novamente o Brasil aparece entre os escolhidos e recebe um jogo da maior liga de basquete do mundo. Em 2013, os times escolhidos foram o Chicago Bulls e Washington Wizards. A festa foi espetacular. A liga trouxe tudo o que podia para tornar esse evento grandioso em solo brasileiro.

Esse ano o jogo será entre Miami Heat e Cleveland Cavaliers. As chances de acompanhar LeBron James, Chris Bosh, Dwyane Wade, Kyrie Irving, Luol Deng, Varejão, entre outros, são enormes. Ainda não é certo que veremos todas essas estrelas, pois ao fim da atual temporada, muitos contratos terminam (eles se tornam agentes livres). Ou renova ou se transfere para outra franquia. 

Teremos mais uma oportunidade para mostrar à Adam Silver e seus companheiros que temos condições de receber toda a estrutura da NBA, que temos condições de receber jogos de temporada regular, que temos condições de receber até dois jogos na mesma temporada. O primeiro teste foi ano passado. Foi tudo bom, tudo maravilhoso, porém podemos melhorar. A logística na semana do jogo deve ser aperfeiçoada, a divulgação precisa ser gigantesca. O Rio de Janeiro deve parar para ver esse jogo!

Esperamos estar lá olhando esses monstros que a gente só vê pela televisão, torcendo para um dia vê-los pessoalmente. O Paixão NBA fará de tudo para ir no evento e trazer todos os detalhes e informações à respeito desse evento gigantesco. Selfie com LeBron? Selfie com Dion Waiters e Kyrie Irving? Só o tempo dirá.

7 de abril de 2014

O top 10 te espera, Dirk Nowitzki


Após algum tempo sem postagens e com o blog congelado pelo Uol (domínio), vou fazer um post! Confesso que o tempo está curto e a cobertura está bem abaixo do que já foi, porém, na medida do possível, tentamos dar um alô e conversar com os fãs da NBA.

Hoje estou fazendo algo que nunca fiz desde que criei este querido espaço: apenas observar. Pago o NBA League Pass, assisto os jogos, no entanto estou comentando pouco. E se comento é pouca coisa e não apresento nenhum tipo de argumento. Pois bem, está na hora de quebrar esse silêncio e falar um pouco sobre esse monstro chamado Dirk Nowitzki.

Senhores, estamos prestes a ver este cidadão fazer história. Muito em breve, Nowitzki ingressará ao top 10 dos cestinhas da NBA. Ele vai se juntar à lendas como Wilt Chamberlain, Michael Jordan, Kareem Abdul-Jabbar, Karl Malone, entre outros. É um feito histórico nos dias de hoje. Com um time mais competitivo e bacana de se ver, os Mavs brigaram para retornar aos playoffs após um pequeno período de reconstrução. Caras novas apareceram e o time se acertou. Mesmo aos 35 anos de vida (já beirando os 36), Dirk segue como referência e jogando no mais alto nível. Ele parece o Tim Duncan (esse é um robô, portanto não vale comparar). 

Com 26693 pontos, o alemão aparece em 11º no ranking dos cestinhas da história e cola em Oscar Robetson, o Mr. Triple-Double. O ex-jogador do Milwaukee Bucks tem 26710 pontos e se vê perto de sair do famoso top 10. O mais maluco é que Dirk ainda tem totais condições de ir além! "Apenas" 716 pontos o separam de Moses Malone, o no ranking. 

Este ser capaz de superar uma gripe e passar por cima do badalado Miami Heat e conquistar o tão sonhado título da NBA se mostra cada vez genial. Com certeza vai entrar no Hall da Fama, porém, enquanto vivemos o presente, precisamos contemplar e aplaudir toda sua habilidade. Vem pro top 10, Dirk!

23 de março de 2014

Chris Bosh detona o atual momento do Miami Heat


 "Nós somos um lixo. Temos que mudar essa situação. Não tem paixão, não tem nada."

Essas são as palavras de Chris Bosh, pivô do Miami Heat. Indignado com a mais nova derrota da franquia de South Beach (dessa vez para os Pelicans), o camisa 1 não poupou palavras e detonou o atual momento vivido pela equipe. Com LeBron James longe dos 100%, poupando Dwyane Wade ao máximo e sem sequência com o mesmo time, o atual bicampeão vem sofrendo com uma rotina pouco conhecida.

O então aliado "pós-All-Star Game" não vem ajudando. Se ano passado, em 32 jogos o time venceu 30, nessa temporada são 17 jogos e apenas 10 vitórias. Os números do time de Erik Spoelstra tiveram uma queda significativa após o final de semana festivo e vem acumulando derrotas. São 7 resultados negativos nos últimos 11 compromissos. O que acontece em Miami?

19 de março de 2014

Barack Obama teria vaga nesse Los Angeles Lakers


 "O Obama poderia jogar nos Lakers agora mesmo. Não é uma mensagem para o nosso elenco, e sim um sinal de respeito a suas habilidades."

Essas são as palavras de um dos maiores jogadores que já vestiu a camisa dourada dos Lakers. O rapaz tem autoridade para falar algo sobre a franquia. Com o presidente Obama dando seus famosos palpites para o March Madness (fase decisiva do basquete universitário), Kobe aproveitou o momento e elogiou o comandante americano.

Na NBA, o time de Obama é o Chicago Bulls. Nesse Lakers será que sairia algo? Obama e Meeks? Será que pintaria um anel? Não podemos saber. Mas segundo Kobe, o cara é bom. Falou, está falado.