24 de outubro de 2014

Preview Paixão NBA - Divisão do Pacífico


Dando sequência em nossos previews, hoje é a vez da Divisão do Pacífico, que tem toda pinta de ser dominada por Clippers e Warriors. As duas franquias devem disputar a liderança até o final, e nós do PN colocamos o time de Griffin, Paul e cia. com uma certa vantagem. Tem Suns, tem Kings, tem Lakers. No ar, mais um preview Paixão NBA!

Nunca se esquecendo que os comentários estão livres para iniciar um debate. O twitter do blog também é um ponto de encontro para se discutir os previews e outros temas relacionados à NBA: @paixaonba.
Um trabalho de Matheus Cezar, Ariel Paiva e Felipe Torquini

Los Angeles Clippers (60-22, 1º no oeste)

A ameaça de desmanche sumiu junto com Donald Sterling do time. O Clippers se manteve praticamente o mesmo da temporada, exceto à adição de Spencer Hawes que veio tentar curar a falta de arremesso de longa distância da equipe. A rodagem e o empirismo que todos adquiriram na temporada passada na eliminação feia, quiçá vergonhosa, para o Thunder deve contribuir para os playoffs desta temporada, aonde a franquia azul a branca do Staples com certeza estará. Chris Paul tem que mostrar que não é somente jogador de temporada regular e dar um passo á frente na carreira.  
PG: Chris Paul 
SG: JJ Redick 
SF: Matt Barnes 
PF: Blake Griffin 
C: DeAndre Jordan 

O destaque da equipe (há controvérsias) é Blake Griffin. O ala de força - jamais tal alcunha foi utilizada com tanta literalidade - foi cotado para vencer o Most Improved Player da temporada por alguns, devido á evolução do seu jogo, que passou de enterradas e jogadas simplesmente físicas para jumpshots e até bolas de três de pontos (Foram 12-44 na última temporada). BG é um jogador em pleno desenvolvimento e que assume um papel importantíssimo na equipe, com CP3 dentro ou fora de quadra.

Golden State Warriors (57-25, 4º no oeste)

O Warriors para a temporada passada com banca de NBA Finals e novamente passou longe disso. Ao invés de largar tudo e ir em busca de estrelas - já há duas no elenco -, o Warriors adotou postura parecido a do Clippers: Manteve todo mundo e trouxe uma ou outra peça para fechar a equipe. O da vez foi Shaun Livingston (menção honrosa à Leandro Barbosa), que tenta preencher a lacuna do banco de Curry, órfão de Jarrett Jack. Iguodala precisa entrar mais na parte ofensiva, aonde foi nulo da temporada passada e todos sabemos que ele pode mais (chegou a fazer 20ppg no 76ers). A equipe de Oakland não tem muito aonde mexer, é basicamente colocar os meninos em quadra e esperar a mágica acontecer. Torçamos para que a experiência de mais uma eliminação precoce os faça serem ainda melhores que na temporada, pelo bem do basquetebol.

PG: Stephen Curry 
SG: Klay Thompson
SF: Andre Iguodala
PF: David Lee
C: Andrew Bogut

Stephen Curry não assume somente o protagonismo do Warriors, como também da NBA. O armador já figura entre alguns recordes de bola de três pontos, além de ser carismático e nos proporcionar diversos jogos espetaculares aos torcedores e fãs da bola laranja. Não é esperado uma evolução ainda maior do seu jogo, pois na temporada Curry parece ter chegou no seu auge, fazendo 24ppg, 8.5apg e 4.3rpg. Acima disso, briga por MVP com certeza.


Phoenix Suns (43-39, 10º no oeste)

Por pouca coisa (uma vitória) a equipe do deserto ficou de fora dos playoffs da temporada passada (três derrotas nos últimos quatro jogos). Jeff Hornacek conseguiu tirar leite de pedra, concorreu a COY e mesmo sem a “revelação” Bledsoe por boa parte da temporada, levou um time desacreditado e do fundo de tabela até um quase-playoffs. Nesta temporada a exigência já é outro patamar, agora o objetivo tem que ser playoffs. Dragic, atual MIP, comandará a equipe ao lado do também armador Bledsoe, que saudável é um mini-Westbrook e do armador oriundo do Kings, Isaiah Thomas, sensação do time de Sacramento. Dali pra frente, coloca o jogo na mão dos irmãos Morris e do pivô aspirante a all-star Plumlee e esse Suns fica PELO MENOS divertido de assistir. 

PG: Goran Dragic 
SG: Eric Bledsoe 
SF: P.J. Tucker 
PF: Markieff Morris 
C: Miles Plumlee 

Dragic carrega a esperança dos torcedores em encontra o novo Steve Nash, astro da equipe de Arizona no começo do milênio e, apesar de jamais haver outro Nash, pode pelo menos chegar perto. O armador que fez 20.3ppg e 5.9apg, além de vencer o MIP, carrega agora a responsabilidade de ser a estrela desse time jovem. Precisa ser, mais do que nunca, o novo Nash.


Sacramento Kings (31-51, 12º no oeste)

A franquia de Sacramento, que recebeu GM novo na última temporada, precisa definir seu plano urgentemente. Reconstrução ou busca por playoffs? Há uma estrela na equipe, chamada DeMarcus Cousins, sub-aproveitada, que recebeu companhia de outra estrela da liga - mas não pela sua técnica, que apesar de boa não justifica o salário astrônomico -, Rudy Gay. Após perder a revelação Isaiah Thomas, o Kings trouxe Collison e Sessions para preencher a lacuna na armação, além de Staukas para ajudar McLemore no perímetro. A franquia parece mais forte que na temporada passada, mas não suficiente para playoffs, principalmente no oeste.

PG: Darren Collison
SG: Ben McLemore
SF: Rudy Gay
PF: Jason Thompson
C: DeMarcus Cousins

O gigante Cousins, que pelos mais racionais já é colocado como um dos melhores pivôs desta maravilhosa liga, com a cabeça no lugar é um gênio. O antigo jogador da universidade de Kentucky teve médias de 22.7ppg, 11.7rpg, 2.9apg e 1.3bpg, além de mostrar um ball handling estilo - e não nível - Shaq. Além de eficiente, é divertido de assistir. Deve, como sempre, carregar a equipe do Kings, mesmo que para o fundo do poço.



Los Angeles Lakers (28-54, 14º no oeste)



O Lakers é uma franquia com pressa de vencer, devido a aposentadoria iminente de Kobe Bryant, e por isso trouxe diversas peças na free agency para tentar ao menos ir aos playoffs, aonde lá depositam toda a confiança no Black Mamba. O armador Jeremy Lin assume a armação da equipe, disputando posição com o, infelizmente, eterno lesionado Steve Nash. Nick Young permanece na equipe, a exemplo de Jordan Hill. Os dois devem ter mais espaço e serão colocados em uma posição de maior destaque que nas últimas temporadas, para Hill, ou na última temporada, para Young. Boozer foi um movimento ousado e traz ainda mais energia para o garrafão, que ainda conta com o rookie Julius Randle, sétima escolha geral deste draft. O desempenho da equipe vai depender bastante de como se encaixarão as novas e como Bryant virá das recentes lesões. Pegar playoffs nesse leste vai ser duro.


PG: Jeremy Lin
SG: Kobe Bryant
SF: Nick Young
PF: Carlos Boozer
C: Jordan Hill

Destaque não poderia deixar de ser Kobe Bean Bryant. O ala-armador, que lutou na temporada passada contra uma (s) lesão (ões), recebe um salário de estrela - aliás, o maior da liga, nem LeBron ganha tanto - e tem um legado a ser defendido, além da velha luta pelo sexto anel. Pode ser a última temporada em alto nível de Kobe, ou pode ser a temporada aonde ele se afunda de vez. Quem viver verá.

23 de outubro de 2014

Franquias votam contra e atual formato do Draft continua


Uma discussão que tomava conta nos bastidores da organização era se o modelo atual do Draft ainda era o mais adequado para eleger a ordem das escolhas. Muita gente achava que o famoso tanking (perder de propósito e ter grandes chances de uma boa escolha no Draft) só prejudicava a liga, pois de alguma forma perdia a graça, além de ser contra a ética do esporte. Pois bem, a votação aconteceu e o resultado de certa forma foi surpreendente.

Em uma espécie de boca de urna do Ibope, apenas três equipes apareciam contra a mudança do atual formato. No entanto, na hora de votação, o resultado foi totalmente outro. Se a margem de erro era de 2 pontos percentuais, o rapaz que levantou esse número estava errado. A votação foi realizada e 13 (treze) times foram contra a reforma proposta. O atual formato seguirá em vigor.

Segundo o jornalista Adrian Wojnarowski, o famoso Woj, da Yahoo! Sports, só haveria uma mudança se 23 franquias votasse à favor (no caso apenas sete poderiam ser contra). 

As fontes da liga informam que Oklahoma City Thunder, New Orleans Pelicans, Detroit Pistons, Atlanta Hawks, Miami Heat, Milwaukee Bucks, Philadelphia 76ers, Phoenix Suns, San Antonio Spurs, Utah Jazz, Washington Wizards, Charlotte Hornets e Chicago Bulls foram contra a alteração.

Portanto, senhores, o sistema do Draft continua o mesmo e o padrão "a pior equipe da temporada tem mais chances de conseguir a 1ª escolha" segue. Como citado no início desta postagem, os elencos mais fracos, mais jovens e despreparados para uma pós-temporada, optam pelas derrotas para conseguir boa posição no Draft seguinte para selecionar um jovem talento. O TANK CONTINUA!

Preview Paixão NBA - Divisão Central


Vai começar a série de posts no Paixão NBA falando um pouco sobre cada equipe da NBA, projetando sua temporada 2014/15. Vamos citar as equipes titulares, falar um pouco sobre o elenco de uma forma geral, projetar a campanha, a posição e o destaque. Todos esse trabalho foi feito em equipe e é uma obra minha (Matheus Cezar), Ariel Paiva (@tripledouble_) e do Felipe Torquini (@toerquini). Esperamos que todos gostem e estamos à disposição para possíveis debates. Para começar, vamos com a divisão Central!

Divisão Central

Cleveland Cavaliers (55-27, 1º no leste)

O melhor jogador de basquete do Mundo está de volta a sua casa. LeBron James trouxe com ele, Kevin Love, Mike Miller, Shawn Marion e Ray Allen. A troca pelo ala-pivô mandou embora grandes valores, mas foi uma de suas “exigências” para assinar com o Cavs. Kyrie Irving está na hora de saltar para ser o superstar que a maioria das pessoas sempre esperou que ele fosse se tornar. Com um time com o estilo que o James gosta e que deu dois anéis de campeão pára ele em Miami, o Cavs poderá usar um time muito espaçado sempre, podendo ter até jogar o Kevin Love como pivô e poder ter todos os jogadores abertos em algum momento. Mike Brown foi substituído por David Blatt, que pela primeira vez treinará um time na liga, no comando da equipe e a principal meta dele no início, será arrumar a defesa da equipe. Nenhum defensor de elite está presente entre os titulares e James pode ser considerado o terceiro jogador mais preguiçoso da NBA defendendo já que ninguém ganha de Kobe e Harden nesse quesito. Kevin Love foi um dos jogador que permitiu uma das porcentagens mais altas de conversão de arremessos para os adversário na última temporada na área pintada, onde o próprio General Manager da equipe, David Griffin, admitiu ser um problema após a trade que ele teria que resolver. 

PG: Kyrie Irving
SG: Dion Waiters
SF: LeBron James
PF: Kevin Love
C: Anderson Varejão

Destaque: James volta para Cleveland com apenas uma meta: conseguir um título para a franquia que lhe draftou em 2003. Seus pedidos foram atentidos, agora é com ele. Mais do que nunca deve seguir um estilo onde ele deve distribuir mais o jogo do que ser o killer durante a maior parte do jogo, como era preciso em sua primeira passagem pela equipe. O ala obteve 27.1ppg, 6.9rpg e 6.1apg com incríveis .610 de eFG%, estatística que mostra um ajuste na % dos arremessos de 2 e de 3.


Chicago Bulls (50-32, 2º no leste)

Thibs, Rose e Noah. Os três pilares da equipe de Chicago são esses. O sempre problemático ataque do Bulls, que ficou pior com a frequência de jogos sem Derrick Rose, espera ser diminuída nessa temporada com, além da volta de D-Rose, a contratação de Pau Gasol, da escolha de McDermott via draft e da aquisição de Nikola Mirotic, que possui um ótimo potencial. Chutes longos, jogadas no garrafão e espaçamento são as qualidades que esses três trazem aos touros. A já defesa consolidada da NBA, que conta com o DPOY Joakim Noah, Jimmy Butler que é um dos melhores defensores de perímetro da liga e com a energia de Taj Gibson vindo do banco, entre outras coisas, deve ainda ser a principal virtude desse time que foi o único no leste capaz de dar trabalho ao Miami Heat da era LeBron James ao lado do Indiana Pacers. 

PG: Derrick Rose
SG: Jimmy Butler
SF: Mike Dunleavy
PF: Pau Gasol
C: Joakim Noah

Destaque: Derrick Rose divide o destaque, especialmente neste caso, com outro jogador: Joakim Noah. Pelo simples fato de que D-Rose apesar de ser o maior expoente de qualidade desse time é também o maior expoente de dúvidas, já que não mantém uma sequência de jogos há anos. O armador somou 15ppg com 47% de aproveitamento na preseason.


Detroit Pistons (35-47, 10º no leste)

Josh Smith ou Greg Monroe? Parece que essa foi uma escolha que o novo coach, Stan Van Gundy, dteve que fazer para iniciar a temporada. Um deles terá que ser reserva, e em um primeiro momento, Monroe deve ser o escolhido para sentar o banco. Essa dupla jogando junta, ao lado de Andre Drummond, acabou dando errado na última temporada. Josh Smith longe do aro é um perigo para a humanidade. Jodie Meeks ainda pode começar sendo o ala-armador titular de Detroit, apesar de que, em minha opinião, isso será um erro. Jennings é o armador absoluto da equipe, mas SVG trouxe DJ Augustin para auxiliá-lo. Kentavious Caldwell-Pope é uma esperança de evolução para os torcedores. SVG tem que arrumar uma maneira do espaçamento do Pistons existir. Josh Smith como PF pode render seu melhor basquete. Um dos grandes defensores da NBA, ele pode contribuir dos dois lados mais do que fazia como SF, além de ter mais oportunidades para fazer grandes bloqueios e enterradas(coisa que vai ter muito novamente em Detroit). Smith soma 17.2ppg, 8.6rpg, 3.7apg, 1.4spg e 2bpg chutando 47% per 36(estatísticas a cada 36 minutos jogados) nas temporadas em que atuou como ala-pivô, estatísticas superiores as que possui como ala(confira aqui suas médias). Também nessa posição, ele obteve suas melhores médias em plus/minus nos seus times por 100 posses, sendo todas positivas(salve exeção em 2007-08), coisa que nunca conseguiu como small forward. 

PG: Brandon Jennings
SG: Jodie Meeks 
SF: Kyle Singler 
PF: Josh Smith 
C: Andre Drummond 

O destaque da equipe fica por conta de Andre Drummond. Dre tem tudo para se tornar um dos ou talvez o melhor e mais dominante pivô da NBA daqui alguns anos. Na última temporada obteve 13.5ppg e 13.2rpg em menos de 33 minutos por noite. Aparece como um dos favoritos a liderar a liga em rebotes nesta temporada.


Indiana Pacers (31-51, 11º no leste)

Sem Paul George, que deve perder a temporada toda e sem Lance Stephenson que acabou assinando com o Charlotte Hornets, o Indiana Pacers é uma incógnita para esta temporada. Depender de um Roy Hibber toverrated que nunca se pode confiar? Colocar o jogo nas costas do David West? Tudo isso com o George Hill sendo o seu armador? Não acredito que essa time consiga uma vaga na pós-temporada. Stuckey assinou com a equipe, que não tinha nenhuma escolha muito alta no draft. A principal arma do Pacers, sua defesa, estará seriamente prejudicada também, já que Paul George era seu melhor defensor de perímetro e Lance também era um ótimo defensor.

PG: George Hill
SG: Rodney Stuckey
SF: CJ Miles
PF: David West
C: Roy Hibbert

Destaque: David West deve ser o cara em Indiana nessa temporada. O power forward que sempre foi uma peça que permitia o ataque problemático do Pacers ter uma válvula de escape quando Paul George não estivesse em seus melhores dias ou quando precisava forçar o jogo no garrafão agora deve ser o centro do ataque.


Milwaukee Bucks (22-60, 14º no leste)

Ao lado de times como Orlando Magic e Utah Jazz, o Bucks tem um núcleo de jogadores jovens com muito potencial. Apesar da última temporada da equipe ter sido qualquer coisa onde chamar de horrível é elogio, o time acabou ficando com Jabari Parker no draft, o maior potencial do draft ao lado de Andrew Wiggins. Favorito ao ROY, Jabari vai se juntar a jogadores jovens como o gigante Giannis Antetokounmpo, John Henson e Larry Sanders, que apesar de quase nem aparecer em quadra na última temporada, tem um bom potencial e já mostrou na liga o que pode fazer. Jason Kidd é quem assume o cargo de head coach, e já vem testando várias formações titulares diferentes, o que prova que poucos jogadores já tem vaga cativa nos que saem jogando. O maior problema da equipe talvez seja na armação, Brandon Knight ainda não mostrou o que veio fazer na NBA. Muito inconsistente, o armador vive altos e baixos durante suas temporadas e ainda não definiu se é um ala-armador ou um armador.

PG: Brandon Knight
SG: Khris Middleton
SF: Jabari Parker
PF: Ersan Ilyasova
C: Larry Sanders

Destaque: Jabari Parker chega como favorito ao prêmio de novato do ano e carrega com ele a esperança de um futuro brilhante para a franquia. Dono de um arsenal ofensiva muito acima da média e comparado a Carmelo Anthony quando foi escolhido pelo Denver Nuggets. A ESPN projeta mais de 18ppg para ele na sua temporada como novato.

22 de outubro de 2014

Gerentes da NBA respondem enorme questionário

Em todo início de temporada, os gerentes das 30 franquias da NBA respondem algumas perguntas a respeito sobre os times, os jogadores, os fãs e as movimentações da offseason. No total, são 56 questões colocadas a mesa para os executivos responderem. Há apenas uma ponderação: não pode votar em sua equipe e jogadores de seu elenco.

Nesse post, o Paixão NBA vai selecionar algumas das mais importantes questões, e o link com todas as perguntas no site da NBA você encontra aqui. Muito em breve, a equipe PN vai colocar os palpites para os prêmios individuais, acrescentando breves linhas e explicando o motivo da escolha. 

Os nobres leitores deste espeço podem colocar seus palpites nos comentários ou debater sobre as escolhas nos gerentes, também conhecido por GMs. Aí vai algumas questões:

Quem vence a NBA Finals 2015?

1. San Antonio - 46.2%
2. Cleveland -- 15.4%
3. Chicago -- 11.5%
L.A. Clippers -- 11.5%
Oklahoma City -- 11.5%
6. Golden State -- 3.8%

Quem vence a conferência leste?

1. Cleveland -- 70.4%
2. Chicago -- 25.9%
3. Washington -- 3.7%

Quem vence a conferência oeste?

1. San Antonio -- 55.6%
2. Oklahoma City -- 29.6%
3. L.A. Clippers -- 11.1%
4. Golden State -- 3.7%

Quem vence a divisão do Sudeste?

1. Washington -- 59.3%
2. Miami -- 29.6%
3. Atlanta -- 7.4%
4. Charlotte -- 3.7%

Quem vence a divisão Sudeste?

1. Oklahoma City -- 92.9%
2. Portland -- 7.1%

Quem vence a divisão do Pacífico?

1. L.A. Clippers -- 81.5%
2. Golden State -- 18.5%

Quem vence a divisão do Sudeste?

1. Toronto -- 76.9%
2. Brooklyn -- 19.2%
3. New York -- 3.8%

Quem vence a divisão Central?

1. Cleveland -- 60.7%
2 . Chicago -- 39.3%

Quem vence a divisão do Sudoeste?

1. San Antonio -- 96.4%
2. Houston -- 3.6%

Quem vence o prêmio de MVP?

1. LeBron James, Cleveland -- 67.9%
2. Kevin Durant, Oklahoma City -- 21.4%

Menções honrosas para Carmelo Anthony, Blake Griffin e Chris Paul;

Para iniciar uma franquia, você escolheria qual jogador?

1. LeBron James, Cleveland -- 50.0%
2. Anthony Davis, New Orleans -- 25.0%
Kevin Durant, Oklahoma City -- 25.0%

Qual atleta terá uma provável explosão na temporada 2014/2015?

1. Anthony Davis, New Orleans -- 29.6%
2. Bradley Beal, Washington -- 14.8%
3. Andre Drummond, Detroit -- 11.1%
Klay Thompson, Golden State -- 11.1%
5. Kenneth Faried, Denver -- 7.4%

Qual é o melhor armador da NBA?

1. Chris Paul, L.A. Clippers -- 71.4%
2. Russell Westbrook, Oklahoma City -- 10.7%
3. Tony Parker, San Antonio -- 7.1%

Qual é o melhor ala-armador da NBA?

1. James Harden, Houston -- 63.0%
2. Klay Thompson, Golden State -- 18.5%
3. Kobe Bryant, L.A. Lakers -- 7.4%
Stephen Curry, Golden State -- 7.4%
5. Kevin Durant, Oklahoma City -- 3.7%

Qual é o melhor ala da NBA?

1. LeBron James, Cleveland -- 75.0%
2. Kevin Durant, Oklahoma City -- 25.0%

Qual é o melhor ala-pivô da NBA?

1. LaMarcus Aldridge, Portland -- 25.0%
Blake Griffin, L.A. Clippers -- 25.0%
3. Anthony Davis, New Orleans -- 21.4%
4. LeBron James, Cleveland -- 10.7%
5. Kevin Love, Cleveland -- 7.1%

Qual é o melhor pivô da NBA?

1. Dwight Howard, Houston -- 42.9%
2. Marc Gasol, Memphis -- 25.0%
3. Joakim Noah, Chicago -- 17.9%
4. Tim Duncan, San Antonio -- 10.7%
5. Anthony Davis, New Orleans -- 3.6%

Qual foi a maior surpresa nessa offseason?

1. LeBron James to Cleveland -- 42.9%
2. Chandler Parsons to Dallas -- 21.4%
3. Afflalo-Fournier trade -- 7.1%
Pau Gasol to Chicago -- 7.1%
Love-Wiggins trade -- 7.1%
Lance Stephenson to Charlotte -- 7.1%

Quem será o Novato do Ano?

1. Jabari Parker, Milwaukee -- 75.0%
2. Andrew Wiggins, Minnesota -- 17.9%

Qual novato será o melhor atleta em cinco anos?

1. Jabari Parker, Milwaukee -- 35.7%
2. Andrew Wiggins, Minnesota -- 32.1%
3. Joel Embiid, Philadelphia -- 21.4%

Qual é o melhor jogador internacional?

1. Dirk Nowitzki, Dallas -- 53.6%
2. Tony Parker, San Antonio -- 28.6%
3. Marc Gasol, Memphis -- 14.3%
4. Goran Dragic, Phoenix -- 3.6%

Qual é o maior defensor da NBA?

1. Joakim Noah, Chicago -- 35.7%
2. LeBron James, Cleveland -- 21.4%
3. Dwight Howard, Houston -- 14.3%
Serge Ibaka, Oklahoma City -- 14.3%

Qual o melhor técnico da NBA?

1. Gregg Popovich, San Antonio -- 92.9%
Receberam votos: Lionel Hollins, Brooklyn; Tom Thibodeau, Chicago

Qual é o melhor assistente técnico?

1. Alvin Gentry, Golden State -- 17.9%
2. Adrian Griffin, Chicago -- 7.1%
Tyronn Lue, Cleveland -- 7.1%
Ettore Messina, San Antonio -- 7.1%
Mike Woodson, L.A. Clippers -- 7.1%

Qual time será divertido de ver jogar?

1. Golden State -- 57.1%
2. L.A. Clippers -- 21.4%
3. San Antonio -- 17.9%
4. Oklahoma City -- 3.6%

Qual atleta é o maior líder?

1. Tim Duncan, San Antonio -- 35.7%
2. Chris Paul, L.A. Clippers -- 28.6%
3. LeBron James, Cleveland -- 14.3%
4. Kevin Garnett, Brooklyn -- 10.7%

Qual atleta ativo será um grande técnico?

1. Chris Paul, L.A. Clippers -- 24.0%
2. Steve Blake, Portland -- 12.0%
3. Kirk Hinrich, Chicago -- 8.0%
Steve Nash, L.A. Lakers -- 8.0%
4. Mike Conley, Memphis -- 6.0%
Jarrett Jack, Brooklyn -- 6.0%

Quem é o atleta mais rápido com a bola?

1. John Wall, Washington -- 40.7%
Russell Westbrook, Oklahoma City -- 40.7%
3. Derrick Rose, Chicago -- 11.1%

Qual atleta com a melhor movimentação sem a bola?

1. Kyle Korver, Atlanta -- 53.6%
2. J.J. Redick, L.A. Clippers -- 10.7%
3. Stephen Curry, Golden State -- 7.1%
Shawn Marion, Cleveland -- 7.1%

Qual é o jogador mais resistente da NBA?

1. Tony Allen, Memphis -- 25.9%
2. Kobe Bryant, L.A. Lakers -- 11.1%
David West, Indiana -- 11.1%
4. Reggie Evans, Sacramento -- 7.4%
Kenneth Faried, Denver -- 7.4%

Qual é o melhor jogador internacional FORA da NBA?

1. Rudy Fernandez -- 32.0%
Dario Saric -- 32.0%
3. Sergio Rodriguez -- 12.0%
Milos Teodosic -- 12.0%

As médias dos brasileiros na pré-temporada


A tão querida preseason é aquele momento em que os treinadores ainda fazem alguns testes para preparar a equipe da melhor maneira para o início da temporada regular. Enquanto alguns veem a fase de preparação como algo protocolar na NBA, muitos atletas usam os minutos preciosos que ganham para mostrar serviço. E como anda os atletas brasileiro nessa pré-temporada que teve início em 4 de outubro?

Em Cleveland, temos Anderson Varejão buscando a posição de titular contra Tristan Thompson. Apesar do comandante David Blatt ter gostado do estilo de Thompson, a preseason de Varejão está deixando o técnico com pulgas atrás da orelha. Em Washington, Nenê é um dos líderes da franquia e vem sendo poupado em determinados jogos. Leandrinho Barbosa está recebendo minutos do recém chegado Steve Kerr e vai se mostrando uma arma interessante partindo do banco. Até Bruno Caboclo recebeu lances de Dwane Casey. Os lesionados Tiago Splitter e Vitor Faverani não pisaram na quadra um segundo sequer. Vamos as médias:

Anderson Varejão

5 jogos;
4 como titular;
21,4 minutos;
11 pontos;
7,4 rebotes;
1,4 assistências
62,2% de aproveitamento nos arremessos

Nenê Hilário

5 jogos;
5 como titular
19,6 minutos
8,6 pontos
2,2 rebotes
0,8 assistências
46,9% de aproveitamento nos arremessos

Leandro Barbosa

5 jogos
13,8 minutos
6,2 pontos;
1,0 rebote;
1,4 assistências
50% de aproveitamento nos arremessos;

Bruno Caboclo

5 jogos
1 como titular
13,7 minutos
4,2 pontos
2,0 rebotes
40,0% de aproveitamento nos arremessos de quadra

Lucas Nogueira

1 jogo
11 minutos
8 pontos
2 rebotes
2 blocks
100% de aproveitamento nos arremessos

Torcedora de 90 anos desafia Dwyane Wade

Como já não bastasse ser duro se preparar para mais uma longa temporada da NBA, Dwyane Wade recebeu um desafio e precisou prontamente atender. No dia 9 de outubro, uma fã do Miami Heat chamada Illuminada Magtoto desafiou o astro da franquia para um-contra-um para comemorar o seu aniversário de 90 (noventa) anos.

Eis o desafio:



A mensagem chegou até o núcleo do Miami Heat, que atenteu o pedido de Magtoto e tornou seu aniversário mais especial. O pedido deveria ser atendido apenas por Wade. Apesar do elenco contar com Chris Bosh, e anteriormente com LeBron, a vovó só queria bater bola com o principal jogador da história da franquia.

Em seu perfil oficial no Instagram, Wade adorou conhecer a grande fã:


"Hoje, depois do treianemtno, eu tive a oportunidade de conhecer esta senhora encantadora. Você nunca sabe o impacto que têm sobre as pessoas e conhecê-la me fez perceber mais uma vez que minha vida é maior do que o basquete. Ela apresentou um desafio para eu jogar um-contra-um com ela em seu aniversário de 90 anos. Obrigado a sua família, ao Miami Heat e ao TeamWade por fazer este sonho em realidade.

No final do encontro, quando ainda batiam algumas bolas na quadra, a vovó seguia encantada com aquele momento.  Sua alegria tranbordou quando Wade disparou: "Você joga um lob melhor que o Mario Chalmers". Pobre menino Chalmers.
 

21 de outubro de 2014

LeBron James joga a pressão para o outro lado e diz que Bulls está melhor que Cavs

A temporada ainda não começou e já tem gente projetando os favoritos para esse ano. No leste, ao que tudo indica, a principal briga será entre o Chicago Bulls e o Cleveland Cavaliers. A volta de LeBron James e algumas contratações pontuais credenciam facilmente a franquia de Ohio ao título no leste e vaga nas finais da liga. E quando questionado sobre o progresso nessa pré-temporada, James despistou e não teve problemas em comentar que o rival tem um time melhor. 

"Os Bulls agora mesmo têm uma equipe muito melhor que a nossa, simplesmente por toda química que eles tem. levam um bom tempo jogando juntos. Nós temos muito caminho a percorrer pela frente"

Seria malandragem de James para colocar a pressão do outro lado do quintal? Ou ele está falando a verdade? Eu tenho certeza que já começou o jogo psicológico. O fato é que Cavs e Bulls jogaram pela primeira vez nessa preseason, com vitória para os comandados de David Blatt: 107x98. LeBron esteve em quadra durante 31 minutos e anotou 18 pontos, 7 rebotes e 6 assistências.

Quem chamou atenção mesmo foi Derrick Rose. O armador vai tentando provar que está 100% recuperado das lesões nos joelhos e marcou 30 pontos (66% nos arremessos de quadra), 5 rebotes e 3 assistências. Kyrie Irving, que lesionado não atuou no Brasil, apareceu com 29 pontos. 

Rapaz, eu mal posso esperar para a temporada começar!

Vince Carter fecha a casa e rejeita Dirk Nowitzki

Sabe aquela história que a preseason não serve para nada? É uma afirmação quase 100% correta, porém sempre há algo que podemos pegar e destacar. Geralmente são os lances individuais. E no jogo dessa segunda-feira, na American Airlines Center, Vince Carter, ele mesmo, mostrou que ainda tem capacidade para protagonizar alguns lances de encher os olhos.

Jogando para um público de mais de 16 mil pessoas (belo público) no Texas, o alemão Dirk Nowitzki tinha a posse da bola e foi com tudo para enterrar, mas Carter, agora no Memphis Grizzlies, protegeu bem a cesta e rejeitou o rival. Quase aos 38 anos, Vinsanity vai para sua 17ª temporada e sua sexta equipe na NBA. Se ele manter as performances que protagonizou nos playoffs da temporada passada e lances iguais ao toco em cima de Nowitzki, podemos esperar mais um bom ano do veterano.

Em 2013/2014, Carter foi responsável por 11,9 pontos e 3,5 rebotes, se mostrando uma bela arma saindo do banco de reservas. Apesar da idade mais avançada, foi capaz de atuar mais de 24 minutos por noite. Nessa preseason, acumula 4,75 pontos por jogo (mas aí já entra aquela história que preseason não serve pra nada).

Veja o lance:

19 de outubro de 2014

O Kobe Bryant está recuperado?

Assim como Derrick Rose, todos levam cuidados ao falar sobre o estado físico de Kobe Bryant. Será que o ala-armador do Los Angeles Lakers se recuperou dos problemas no tendão de aquiles e da fratura no joelho? Pelo que mostra nos treinamentos, a resposta é sim.

Este vine que estamos publicando aqui é de um treino e, segundo o elenco que compõe a comissão técnica da equipe, foi o mais alto que o camisa 24 saltou desde a séria contusão em abril de 2013, 18 meses atrás (tal problema que o fez perder os playoffs daquele ano);


Se realmente recuperar o seu poder físico, Bryant tem tudo para levar nas costas um limitado Los Angeles Lakers, que melhorou em relação a 2013/2014, mas segue frágil. E recentemente a ESPN, em seus famosos rankings na preseason, colocaram Kobe em 40º. Ele afirmou que são um bando de idiotas. E se nós conhecemos o menino Mamba, ele vai dar a resposta em quadra.