30 de outubro de 2014

Michael Jordan vai à loucura com cesta vencedora de Kemba Walker



O rei do basquete sabia como mudar uma partida. Quando a coisa apertava, ele pegava a bola e decidia junto com o seu lendário Chicago Bulls. Agora, na situação de dono do Charlotte Hornets, ele segue vivendo basquete 24 horas por dia, mas sem a intensidade de poder mudar a história/rumo de um jogo. Na estreia de sua franquia na nova temporada da NBA, Jordan não pode fazer nada, porém foi à loucura quando o armador Kemba Walker venceu o jogo diante do Milwaukee Bucks, com o Hornets buscando uma diferença de 24 pontos.

Jordan é um cara extremamente competitivo, e deve ter sido dureza acompanhar algumas temporadas onde o Bobcats batia recordes negativos e acumulava derrota atrás de derrota. Agora, com um elenco mais encorpado e com poder de parar as melhores equipes do leste, o rei pode comemorar como um louco os triunfos de sua equipe.

A Time Warner Cable Arena estava linda, lotada para o primeiro jogo da volta do Hornets. Com show de Kemba Walker (agora de contrato novo), ele decidiu tanto no tempo normal como na prorrogação. A emoção de Jordan ao ver a bola entrar é espetacular. A NBA voltou, senhoras e senhores!

Bem-vindo à NBA, James Ennis

O Miami Heat começou muito bem sua vida sem LeBron James. Na estreia da temporada regular diante do Washington Wizards, na American Airlines Arena, a equipe comandada por Erik Spoelstra venceu por 107x95. O ponto positivo foi o big three (Chris Bosh, Dwyane Wade e NORRIS COLE!!!!). Mas quem roubou a cena foi o novato James Ennis!

No último quarto, quando o Heat começou a aumentar a diferença sobre o rival da divisão Sudeste, Ennis recebeu passe de Mario Chalmers e atacou a cesta sem piedade. O malandrão do Rasual Butler tentou cavar uma falta, no entanto foi infeliz. BEM-VINDO, ENNIS!

Siga o Paixão NBA no Twitter e não perca nada: @paixaonba

29 de outubro de 2014

As desgraças na estreia do Los Angeles Lakers


Era para ser uma noite de festa. O retorno da NBA motivou quase 19 mil pessoas a acompanharem Los Angeles Lakers e Houston Rockets no Staples Center. Além do retorno de Kobe Bryant, era a vez de acompanhar os novos talentos da franquia e, aproveitando o fator local, saltar com vitória em 2014/2015. Mas deu tudo errado. O Lakers perdeu por 18 pontos de diferença, viu um elenco recheado de jogadores medianos (muitos sem qualidade) e ainda viu Julius Randle, a esperança dessa nova fase em que a franquia vive, sair lesionado. 

Durante um ataque no último período, Randle atacou a cesta, mas sem sucesso caiu no chão. E por lá ficou. E não levantava. Há cada segundo que o ala-pivô permanecia sentado, aumenta a angustia dos torcedores. E o pior seria confirmado: o novato dos Lakers havia quebrado a perna. Era uma fratura na tíbia. O jogador precisou ser imobilizado e carregado pelos companheiros para poder sair da quadra e o jogo ser retomado.

Levado para um hospital mais próximo, a organização confirmou a lesão séria, no entanto não estipulou uma data certa para seu retorno ou tempo mínimo de recuperação. Há quem diga que nessa temporada ele não atua mais. É um soco no estomago de qualquer fã, que gostaria de ver de perto o calouro em ação. Randle foi a sétima escolha do Draft de 2014 e existia muita expectativa em cima dele. Muita gente da comissão técnica já o comparava com Shaquille O'Neal, e ele seria trabalhado para explodir muito em breve.

E dar a bola para Kobe e torcer para ele decidir não vai dar certo. Ele precisa de ajuda. Mas com o departamento médico lotado, complica ainda mais a situação do time. Bryant está velho, com 36 anos nas costas. O QI de basquete pode ajudar (e muito), mas a sua agilidade, sua força física já o abandonaram. Depender do apoio Carlos Boozer, outro já na fase final da carreira, é quase uma sentença de morte. Jeremy Lin pode até ajudar, mas a camisa pesa. O Lakers só disputou UM jogo na temporada e parece que já foram mais de 30 jogos para tanta desgraça. É só o início. 

Dicas do Paixão NBA para você acompanhar a temporada e não perder o emprego


Os novatos que chamaram atenção na preseason 
Curta o PN no Facebook

Está valendo. Começou a temporada regular do melhor basquete do mundo. Até 15 de abril, serão 169 dias de intensos jogos praticamente toda noite (para começarmos com calma, não inclui os playoffs nessa conta). Você está preparado? O Paixão NBA vai tentar de ajudar e montar uma espécie de manual para você conseguir assistir toda a temporada sem perder o emprego ou ter algum problema com o seu chefe. Sejamos francos, ninguém aqui vai dar uma justificava pro chefe que não entregou o relatório porque estava acompanhando Warriors e Clippers até às 03h30, né? 

Chega em determinado momento de novembro que o fuso horário entre o Brasil e os Estados Unidos complica de vez. Começa o horário de verão brasileiro e logo termina o dos americanos. A diferença chega a ficar em seis horas com alguns estados (Califórnia é um exemplo). E ninguém aqui quer perder os lances, muito menos o emprego, né?

Serão algumas dicas que eu levo comigo desde que criei o Paixão NBA. Primeiramente o que estava me prejudicando eram os estudos. Hoje trabalhando e cursando o ensino superior, complicou ainda mais, porém com o jeitinho brasileiro de ser, vamos nos virando. Os comentários estão abertos para os amigos compartilharem suas experiências e nos ajudar todos aqueles que ficam iguais uns zumbis após uma noite de 15 jogos.

1. Em qualquer situação, nunca demonstre o seu cansaço. É óbvio que acompanhando a liga, você fica cansado, mas ninguém precisa saber, correto? Aqueles comentários: "tô acabado", "dormi muito mal", "preciso da minha cama" acabam sendo corriqueiros. Apesar de quase estar dormindo em pé ou sentado, mantenha a sua postura e seu chefe/companheiros de "firma" não vão perceber alterações em seu comportamento.

2. É necessário dormir sempre altas horas da madrugada? Amigos, francamente, a NBA é uma maravilha, porém nem todos os jogos são necessários os olhares atentos. Faça essa avaliação: assistir Kings e 76ers até às 03h é uma boa? Será que acompanhar os melhores momentos na manhã não é melhor? Avalie os jogos do dia. Se tiver apenas jogos ruins, durma e tente recuperar as horas de sono.

3. Calma com o celular! Quem aí tem o aplicativo da NBA instalado em seu smartphone, ou até tem acesso livre aos sites na sua empresa, cuide para não ficar acessando os resultados, melhores momentos e comentários da galera nas redes sociais. Você vidrado no celular ou PC vai chamar atenção. A partir do momento que você acessou, você perde o controle do mundo e se desconcentra. Uma vez até vai. Só não deixa o chefe perceber que você está 2h vendo as lindas bolas de Curry e Thompson, as enterradas do Griffin, as jogadas do LeBron, os lances do Caboclo... tudo tem o seu tempo.

4. Café e energético. Eu sei que tem muita gente que diz que essas bebidas fazem mal, entretanto você vai precisar delas. As vezes, para acompanhar aquela rodada imperdível, você precisa de um estímulo. E de manhã cedo para ir trabalhar? Também precisa. Amigos, essas bebidas são nossas aliadas em uma temporada longa como essa.

5. Descanse. Eu sei que todos aqui tem uma vida muito corrida, porém o ministério do trabalho obriga as empresas darem uma hora e meia de intervalo para seus colaboradores. Puxe um ronco. Pode ser de 10, 15, 20 minutos... o que importa é descansar os olhos. Qualquer soneca te deixa novo para seguir na jornada de trabalho e não te prejudicar.. 

6. Sem atrasos. Já cansei de tuitar "MEU CHEFE QUE ESPERE, EU NÃO PERCO ESSE JOGO (04h02)". Por favor, não faça isso. Honre seus compromissos. Acompanhe a NBA até onde você conseguir e coloque o celular/relógio para despertar na hora correta. Seus olhos estarão inchados, você estará clamando por mais minutos na cama... mas desperte! 

7. Relaxe. Seu time perdeu um jogo importante ou algo do gênero? Não vá trabalhar com a cara toda fechada, puto da cara porque o atleta adversário meteu 40 pontos na sua defesa. São 82 jogos. Vai ter troco.

8. Perdeu algo? Não tem problema. Quando der tempo, acessa o blog ou o twitter do Paixão NBA (aqui) e fique bem informado. 

OBS: Caso você não seguiu nenhuma dica e perdeu o seu emprego, em breve o PN vai disponibilizar um guia para acompanhar a temporada apenas para desempregados. 

OBS2: Em breve pode rolar um guia para você acompanhar a temporada e não estragar seu relacionamento amoroso. É o Paixão NBA pensando no bem estar dos fãs da NBA, garantido sua vida social e profissional. 

28 de outubro de 2014

Previsões Paixão NBA - Prêmios individuais

Durant foi o MVP da temporada passada

Para selar com chave de ouro as projeções do Paixão NBA para a temporada 2014/2015, é hora de falar dos prêmios individuais. Vamos falar apenas dos prêmios dos atletas, deixando de lado o prêmio dado ao melhor general manager. Serão os palpites da equipe PN e participação especial do Luís Araújo, do blog Triple Double, do IG.

Matheus Cezar

MVP - Blake Griffin 

A evolução de Blake Griffin é notória. Aos poucos, vai tomando conta das ações em Los Angeles e já é o principal jogador do time. Os Clippers devem fazer uma das melhores campanhas do oeste e, com a força do Griffin, ele se credencia ao prêmio de MVP.

COY - Steve Kerr Kerr

É o cara certo no lugar certo. Com um Warriors preparado, necessitando de um comando novo (Mark Jackson perdeu o controle na temporada passada), Kerr deve conduzir a franquia a brigar forte no oeste. O time é talentoso demais. Sua experiência vai contribuir muito.

DPoY Marc Gasol

O espanhol vive um grande momento. Após anos na NBA, pela primeira vez é considerado o melhor Gasol da atualidade. E olha que o Pau ainda está em atividade. Ele ainda tem muito a mostrar nesse competitivo Memphis Grizzlies

MIP Kenneth Faried

O menino Faried fez uma Copa do Mundo brilhante. Brilhante mesmo. Sua força e vontade impressionam mesmo quem pouco acompanha o melhor basquete do mundo. Creio que com a volta de Danilo Gallinari e o retorno de Arron Afflalo, além das chegadas dos novatos, o Denver Nuggets voltam a ter uma grande campanha no oeste. E Faried, que não teve uma boa temporada, volta a brilhar. Sua evolução será evidente.

RoY - Jabari Parker

A badalação ficou em cima de Andrew Wiggins, mas é quase um consenso que Jabari está mais pronto para jogar na NBA. Nos primeiros confrontos da preseason (inclusise diante de Wiggins), ele provou isso. Fico com ele.

6TH Man - Jamal Crawford

Falei para os rapazes que enquanto o Clippers estiver forte e o Jamal estiver no elenco, é quase certo que ele leva o prêmio de sexto homem. O cara sai do banco já quente, anota 20 pontos de média e é decisivo. Impossível não escolher o Jamal nesse momento.

Felipe Torquini

MVP: Blake Griffin 

Fiquei entre Blake e LeBron nesse prêmio e optei pela aposta e pelo inédito. Já vindo de uma grande evolução e com agora sim, o papel de principal jogador em quadra pelo Clippers, e com Kevin Durant fora por dois meses, eu acabei tirando ele das minhas duas principais opções. 

COY: Doc Rivers 

Acredito em um Clippers muito forte na temporada e que a possível melhor campanha pese na escolha do vencedor deste prêmio

DPOY: Anthony Davis 

Sim, o monocelha. As chances desse jovem monstro fazer uma temporada sensacional são gigantescas, e como grande defensor que é, creio que será recompensando com esse prêmio.

MIP: Jimmy Butler 

Para mim, este foi o prêmio mais difícil de escolher alguém. Considerei nomes como Enes Kanter, Patrick Beverley, Taj Gibson, Kenneth Faried e Dion Waiters, mas acabei optando pelo Jimmy por acreditar que ele vai ter mais evolução no seu jogo e não mais minutos do que os outros que considerei. 

ROY: Jabari Parker 

O maior favorito, sem apostas. Não vejo ninguém concorrendo com Parker para este prêmio e acredito que a única maneira de uma derrota, seria uma lesão. 

Sixth Man: Jamal Crawford 

Entre ele e Jarret Jack, que creio que seja o maior favotiro após o ala-armador do Clippers, fui de Jamal por simplesmente preferir o seu estilo.

Ariel Paiva

MVP - Blake Griffin

Apostando em uma evolução ainda maior que na última temporada (talvez seu arremesso de três já seja uma realidade), Griffin deve carregar a franquia de Los Angeles quando Chris Paul ou Crawford não o fizerem. O ala-pivô chega perto do seu auge técnico e com dedicação de sobra (e uma boa campanha do Clippers), pode ganhar o prêmio.

COY Steve Kerr

Técnico novo com história na liga e com uma equipe de ponta nas mãos. Por ser novato e pegar um timaço de primeira, Kerr pode, se conseguir encaixar o time, levar o prêmio por levar o Warriors longe mesmo sem experiência.

MIP Taj Gibson

A escolha mais difícil por haver tantos jogadores nesta mesmo nível, mas nenhum com chance clara de levar (até porque se eu fosse não seria o prêmio de jogador mais improvável). Taj Gibson porque o Bulls traz de volta Derrick Rose e deve fazer excelente campanha, mesmo depois de perder Boozer.

DPOY LeBron James 

Alguém precisa defender em Cleveland. E LeBron quer mostrar serviço.

ROY Jabari Parker 

Por ser o jogador mais pronto para jogar na NBA e em por atuar em um time fraco, Parker tem claríssimas chances de levar o prêmio de novato do ano. Aliás, ficaria surpreso se caso isso não acontecer (salvo lesão).

6th Jamal Crawford 

De novo e de novo. Crawford deve seguir na onda do Clippers e fazer ótima temporada. Pela falta de concorrência clara e forte, Jamal sai na frente de novo.

Luís Araújo

MVP - Kevin Durant 

Ele e LeBron James são os melhores jogadores da atualidade, é óbvio. LeBron acabou de mudar de time, está em um novo time, formando um novo trio de estrelas, com um técnico que acabou de chegar também. Pode levar algum tempo para encontrar o ritmo individual ideal. Por isso, imagino que Durant leve algum tipo de vantagem -- mesmo levando em conta a lesão neste início de temporada. 

COY - Doc Rivers 

Gregg Popovich é o melhor, mas não consigo vê-lo ganhando esse prêmio pelo segundo ano consecutivo. Dito isso, algo me diz que o Los Angeles Clippers vai dar mais um passo adiante neste processo de evolução histórica. Primeira posição do Oeste durante a temporada regular? Talvez. Se isso acontecer, Doc Rivers deve levar esse troféu. 

MIP - Victor Oladipo

Ele já fez um campeonato muito bom como novato. Agora, jogando sem a responsabilidade de levar a bola, mais solto, tende a produzir melhor e fazer um ótimo campeonato. Se não ganhar o prêmio, pelo menos será alguém bem interessante de se manter o olho durante a temporada. 

DPOY - DeAndre Jordan

Não acredito que a tradição recente de ter apenas homens de garrafão eleitos será quebrada. Confio também na possibilidade de o Clippers ficar entre os dois primeiros do Oeste, fazendo uma campanha ainda melhor que a do ano passado, muito devido a uma boa defesa -- algo que já vinha funcionando bem. Dito isso tudo, aposto em Jordan. 

ROY - Jabari Parker 

Pode ser que daqui a cinco anos algum outro calouro desta safra seja melhor jogador. Mas não consigo imaginar um jogador tendo impacto maior do que o ala do Bucks neste ano de estreia.

6TH - Taj Gibson

É extremamente regular, não goza da confiança de Tom Thibodeau nos instantes finais à toa. Talvez seja o reserva mais titular da NBA mesmo. Já era para ter levado o prêmio no ano passado.

Preview Paixão NBA - Divisão Sudoeste


Chegou a hora do último preview! E obviamente deixamos a divisão do atual campeão por último. Hora de falar dos cinco times do Sudoeste, composto pelo trio do Texas, Grizzlies e Pelicans. Agradecendo a audiência em todas as nossas projeções e os comentários, sendo eles positivos e negativos. Creio que toda a equipe tentou levar o mais objetivo para vocês. No ar, o último preview!

*Um trabalho de Matheus Cezar (@paixaonba), Ariel Paiva (@tripledouble_) e Felipe Torquini (@toerquini)

Preview Paixão NBA - Divisão do Atlântico
Preview Paixão NBA - Divisão Central
Preview Paixão NBA - Divisão Sudeste


San Antonio Spurs (59-23, 2º no oeste)

O San Antonio Spurs tentará defender o título com praticamente o mesmo elenco! Isso mesmo. O time de Gregg Popovich não sofreu perdas na offseason, e ainda teve a aquisição do jovem Kyle Anderson (última escolha da 1ª rodada do Draft). Sem dúvidas é um dos favoritos ao título. O que prejudica o plantel para essa temporada? A idade. Todos estão envelhecendo um ano (ah, vá!). Por mais simples que isso seja, pesa de alguma forma. Sempre apelidada de forma carinhosa de "vovôs", os Spurs seguem com Popovich e seu big three (Duncan, Parker e Ginobili). O brasileiro Tiago Splitter deve ser titular mais uma vez, porém tem a sombra de Boris Diaw, que foi usado como titular nas finais de 2014 para tentar parar o Miami Heat (e deu certo). O MVP das finais, Kawhi Leonard estabelece seu nome como um dos grandes liga. Danny Green promete continuar metendo suas bolas longas. Todos aqui sabem que é um grupo pouco badalado, mas que joga em equipe, joga no estilo Pop de ser. Senhores, pode ter certeza de mais uma vez o Spurs beirando 60 vitórias.

PG: Tony Parker
SG: Danny Green
SF: Kawhi Leonard
PF: Tim Duncan
C: Tiago Splitter

Destaque: Kawhi Leonard. Ok, o Tim Duncan e até mesmo o Tony Parker seguem sendo a referência, mas quando a gente montou esse trabalho, conversamos em colocar os jogadores com potêncial e de qualidade. Nada mais justo que citar Leonard. Seu trabalho defensivo é brilhante e sua agressividade no ataque começam aparecer. Ele vira um tormento nos dois lados da quadra. Olho no menino "CÁUAI".

Houston Rockets (53-29, 5º no oeste)

O verão prometia muito em Houston. Parecia tudo bem elaborado. O plano A era Carmelo Anthony e o plano B era Chris Bosh. Se um negócio melasse, o outro parecia muito bem engatilhado. Só parecia. Melo renovou com os Knicks, Bosh renovou com o Heat. Para piorar, os Rockets perderam Chandler Parsons, um ala com franca evolução na liga, para o rival do Texas, Dallas Mavericks. Para a coisa não ficar feia, Trevor Ariza chegou e a franquia foi atrás de Kostas Papanikolaou. Nem tudo foi perdido na offseason. Os Rockets seguem fortes e devem fazer grande campanha no oeste, mas é claro que a dependência em cima de James Harden e Dwight Howard fica ainda maior. O Ariza é bom jogador, mas precisa atuar com consistência quando não está em ano de contrato. Jeremy Lin saiu e consolida Patrick Beverley como armador titular. No banco, haverá Jason Terry que tentará provar que não está em fim de carreira e ainda consegue boas médias sendo um sexto homem. Pelo Draft, os texanos pagaram o suiço Clint Capela. Veremos se Kevin McHale desencanta como treinador.

PG: Patrick Beverley
SG: James Harden
SF: Trevor Ariza
PF: Luis Scola
C: Dwight Howard

Destaque: James Harden. Com certeza é o barbudo. As temporadas vão passando e cada vez Harden se torna um atleta de elite na NBA. Ele precisa trabalhar sua defesa para ONTEM, mas seu jogo ofensivo amenizam as coisas no Toyota Center. Por ainda não ser completo, Harden necessita da ajuda de Howard. Os dois são o protagonista de um time incerto (pra temporada regular vai. O problema é depois).

Memphis Grizzlies (53-29, 6º no oeste)

Dave Joerger começou bem a sua jornada como treinador dos Grizzlies após a saída de Lionel Hollins. Tudo será mantido para essa nova temporada? No mercado de agentes livres, a franquia não fez muitos negócios, acertando apenas coisas mínimas. Trouxe Vince Carter e buscou Jordan Adams no Draft. Parecido com o San Antonio Spurs, o elenco é o mesmo. A projeção é uma leve evolução, com o jogo defensivo ainda sendo o destaque dessa equipe. O garrafão formado por Marc Gasol e Zach Randolph segue sendo a arma para deter os adversários. É a vez de Mike Conley se firmar como um armador de qualidade (na temporada passada foram 17,2 pontos e 6,0 pontos de média). Tony Allen deve pintar no quinteto titular, deixando a defesa ainda mais forte. A saída de Mike Miller é sentida, mas os Grizzlies apostam em Tayshaun Prince. O apoio vindo do banco vem de Quincy Pondexter, Kosta Koufos e Beno Udrih. Olho nessa competitiva equipe do Tennessee.

PG: Mike Conley
SG: Courtney Lee
SF: Tony Allen
PF: Zach Randolph
C: Marc Gasol

Destaque: GASOL! GASOL! Não é o Pau. É o Marc mesmo. Recebendo mais de 15 milhões de obamas nessa temporada, o espanhol aparece como a principal força dessa equipe. Com 14,6 pontos, 7,2 rebotes e 3,6 assistências por noite na última temporada, Gasol se consolidou como um dos principais pivôs da liga e sua força no garrafão dão indícios que seu ano tem tudo para ser espetacular. E eu realmente espero isso.

Dallas Mavericks (52-30, 7º no oeste)

Campeão em 2011, o Dallas Mavericks viu todo o elenco se desmanchar e ver todo aquele time vitorioso tentando a sorte em outras organizações. Mais de três anos depois, Mark Cuban volta a montar um elenco promissor e os Mavs devem atingir voos maiores em 2014/2015. Caindo na primeira fase dos playoffs naquela série dramática contra os Spurs, os comandados de Rick Carlisle buscam evitar a inconsistência e fazer uma temporada regular tranquila. Tyson Chandler e Raymond Felton voltaram. Jammer Nelson, Al-Farouq Aminu e Charlie Villanueva chegaram. Mas nenhuma aquisição foi tão importante como a chegada de Chandler Parsons (já maior salário do elenco). A perda mais sentida foi a de Shawn Marion, agora nos Cavs. Com a renovação de Dirk Nowitzki e com Monta Ellis sendo extremamente útil, o Mavs deverá marcar presença na pós-temporada, no entanto, diferente dos outros anos, com força para avançar até as semi-finais. O grupo é bom, o treinador competente, a torcida apaixonada. Vejo com muito bons olhos a temporada desta equipe.

PG: Jameer Nelson
SG: Monta Ellis
SF: Chandler Parsons
PF: Dirk Nowitzki
C: Tyson Chandler

Destaque: Queremos apontar atletas mais novos aqui, porém por tudo que fez/faz, Nowitzi é o destaque. Aceitou renovar e receber menos para seguir atuando nos Mavs e abrir espaço na folha de pagamento para Cuban ter condições de ir atrás de outros atletas. Apesar da idade mais avançada, o alemão MVP das finais de 2011 não deve ter uma grande média de pontos, mas deve seguir conduzindo os demais companheiros e ser a principal referência.

New Orleans Pelicans (42-40, 11º no oeste)

Chegamos para falar do New Orelans Pelicans, outro time que você deverá acompanhar ao longo desses meses pois será divertido. O que falar do time que tem Anthony Davis, um monstro de apenas 21 anos que está crescendo de forma absurda e já se credencia como um dos melhores atletas em toda a liga? Recentemente os gerentes das franquias votaram em peso em Davis na seguinte questão: quem você escolheria para começar a franquia do ZERO? A média de idade do elenco é baíxissima e temos que ver se Eric Gordon, Tyreke Evans e Jimmer Fredette decolam na NBA. O ingresso de Omer Asik foi muito festejado na Luisiana. Cobiçado por muitos times na offseason, Ryan Anderson vira reserva, entretanto deve ser muito utilizado para chutar bolas longas (estilo Ray Allen). Desde 2010/2011, os Pelicans não conseguem uma campanha 50% ou mais. Para este ano, o PN projeta isso, mas é cedo para playoffs. Com certeza é um time para um futuro breve, que logo deve estar brigando lá em cima. Outro atrativo é Pierre, o mascote dos Pelicans.

PG: Jrue Holiday
SG: Eric Gordon
SF: Tyreke Evans
PF: Anthony Davis
C: Omer Asik

Destaque: Nem preciso falar do Anthony Davis, certo? Logo no seu segundo ano na liga, Davis anotou 20,8 pontos, 10,0 rebotes e 2,8 tocos (campeão nesse fundamento) de média. Com a evolução de seu jogo e o time ficando mais competitivo, o Monocelha está com uma moral absurda após o título Mundial na Espanha e deve produzir ainda mais. Eu chuto média acima dos 24 pontos e 12 rebotes e 3 tocos (ignore porque sou péssimo em palpite) neste ano. Estou muito empolgado com com o menino Davis.

Os novatos que mais chamaram a atenção na pré-temporada


Felipe Torquini (@toerquini)


O que acontece na pré-temporada, fica na pré-temporada? Nem tudo, eu diria. Principalmente para os novatos, podemos retirar coisas muito interessantes dos seus jogos. Como esão se comportando em jogos que são quase de temporada regular, que jogadas estão executando entre outras coisas, afinal eles levam mais a sério do que jogadores experientes essa parte do ano. Levando em conta isso, em pensei em destacar alguns dos novatos nessa pré-temporada e o primeiro nome que me veio foi Jabari Parker, mas uma exibição de bom nível dele era tão esperada que ficaria meio óbvio destacar o ala. Ao mesmo tempo que pensei isso, percebi que se ele fizesse uma péssima pré-temporada, eu poderia destacar ele como um ponto negativo, assim eu resolvi fazer. Jogadores que me agradaram positivamente e negativamente. 

Jusuf Nurkic (na foto à esquerda) é o tipo de escolha que sempre fica alguma dúvida se foi uma boa ou não, ainda mais para um time como o Nuggets que possui muitos europeus e parte deles não tão bons assim. Além de tudo, era um jogador mais desconhecido e bem cru, pelo que circulava entre os analistas de prospectos. O Bósnio ofensivamente mostrou ser realmente bom no pick and roll, forte o bastante para ser efetivo no post apesar de não ter um arremesso muito desenvolvido. Para seus 20 anos, ele tem um arsenal ótimo e que empolgou, ainda mais quando entre os melhores pivôs da liga não possuem grandes arsenais ofensivos(Andre Drummond, Dwight Howard, DeAndre Jordan, entre outros). O que realmente impressionou foi a capacidade de pegar rebotes, em pouco mais de 19 minutos em quadra o pivô alcançava a marca de 9.3 rebotes(17.3rpg per 36 minutes!!!!). Nada mal, mesmo. Defensivamente ele mostrou ser bem cru, seu pior ponto certamente. Vindo com um potencial para ser um defensor razoável/bom, demonstrava bons momentos em alguns lances mas erros bobos em outros, mas acredito que vá alcançar o nível que se espera. Ponto positivo para o #23 do Nuggets até o momento. 

Em um draft tão forte como foi previsto esse, uma sexta escolha é de se comemorar? Claro, e muito. Escolher um jogador nesse tipo de draft que não sabe arremessar e não parece ser nenhum organizador de ataque elite mas que é um monstro defensivamente vale a pena? Não sei. O Boston Celtics acha que sim e confia que Marcus Smart (foto principal do post) possa melhorar seu arremesso. Na pré-temporada ele demonstrou exatamente os problemas que vinha em sua ficha técnica. Um dos pontos que não gostei foi a seleção de chutes do armador. Marcus não possui ao menos um mid range confiável, mas dos 60 arremessos que tentou na pré-temporada, 44 deles foram para 3 pontos e apenas 11 foram convertidos, o que significa 25% dos seus chutes. Podemos pensar que por não ser temporada regular ainda, ele pode ter tentado algo novo, mas o alerta deve ficar ligado. O armador do Celtics não me deixou uma boa impressão até o momento, fica com ponto negativo.

Quando falamos em novatos nessa temporada, quase sempre esquecemos que o Sixers tem um que se chama Nerlens Noel (moço na foto à direita). O PF/C ficou uma temporada fora por lesão, mas parece estar preparado para começar sua jornada na mais forte liga de basquete do mundo. Por 36 minutos, alcançou 10 pontos, 10 rebotes, 2,65(!) roubos e 2,95(!) tocos por noite. Entretando, nem tudo são flores, ofensivamente ele demonstrou uma fraqueza, já esperada. Não tem um leque rico no ataque e acabou por duas vezes excedendo o número de faltas. Joel Embiid deve ter um forte companheiro quando voltar de lesão. Defensivamente não ficou devendo nada, apesar de números de blocks ou steals não significarem tudo na defesa(muito pelo contrário), ele foi bem fazendo o que melhor sabe, principalmente nas coberturas. Ponto positivo para Noel.

Aaron Gordon (enterrando contra o Mengão) não tem números expressivos, não tem minutos expressivos mas chama atenção pelo tamanho potencial que demonstra ter quando entra em quadra. É impressionante o quão alucinante esse cara consegue ser em quadra. Defensivamente ele consegue tocos tão incríveis quanto suas enterradas. Ser SF não vai ser fácil para ele mas demonstra algumas evoluções já nisso desde sua saída do college. Talvez por ser considerado um dos ou até mesmo o jogador mais cru desse draft, eu não esperava que ele fosse demonstrar algumas coisas. Gordon obvete 12,2ppg, 8,5rpg por 36 minutos. Problemas no post up não foram tão vistos, preferiu evitar essa jogada e optou com bolas mais fáceis ou arremessos que sobravam para ele, ainda não tendo tanta confiança em seu arsenal ofensivo, talvez. Saldo positivo para o SF/PF do Orlando.

O ala-armador Rodney Hood está rendendo muito bem pelo Utah Jazz. Com um início forte, tem como sua principal arma suas qualidades ofensivas e a contribuição para o time nela. Com um aproveitamento de quadra muito bom, tirando os últimos jogos, que foram os piores dele, ele demonstrou uma boa maturidade para um rookie, que se manter na temporada regular, vai lhe dar uma vantagem sobre outros como ele. Jazz tem um núcleio de jovens muito forte. Positiva pré-temporada para Hood.

Elfrid Peyton (Orlando), Dante Exum (Utah) e KJ McDaniels (Philadelphia) também merecem uma menção, me chamaram atenção. Andrew Wiggins foi bem, assim como Jabari, que citei no início, mas esse post é para destacar outros jogadores. Além de que, lembrando, não é por quem faz melhores números, apenas, afinal, é pré-temporada.

27 de outubro de 2014

Mario Chalmers, Kawhi Leonard, Varejão... as rapidinhas da NBA


Leonard e Spurs não se entendem

A turma do Draft de 2011 está entrando no último ano de contrato, por isso, até dia 31, ou um novo contrato é feito (novo vínculo) ou o jogador se torna em agente livre restrito ao fim da temporada 2014/2015. Atual MVP das finais da NBA, Kawhi Leonard segue negociando com o San Antonio Spurs, porém nada foi fechado. Leonard pede o contrato máximo, 85 milhões de dólares em 5 anos. Os Spurs ainda não chegaram no valor solicitado. O impasse segue!

Bruxa solta em Indiana!

O Indiana Pacers, que já não tem Paul George, perde David West, C.J. Watson e George Hill para a estreia da equipe na temporada regular, segundo o último relatório médico. Portanto, da equipe que jogou a final da conferência leste contra o Miami Heat, apenas Roy Hibbert permanece no elenco para o início da nova temporada, contra o Philadelphia 76ers. Que fase!

Varejão e Cavs iniciam conversas

Segundo fontes, o brasileiro Anderson Varejão já iniciou as conversas para renovar o contrato com o Cleveland Cavaliers. Vestindo a camisa dos Cavs há 10 temporadas, o pivô tem grande relacionamento com os companheiros e integrantes da comissão técnica. O problema é que, apesar do interesse mutuo em fazer negócio, a renovação parece complicada e não é iminente. Vamos aguardar.

Knicks de olho em Marc Gasol

Rumores apontam que o New York Knicks vai atrás de Marc Gasol no verão do próximo ano. A intenção de Phil Jackson é ir atrás do pivô espanhol e trazê-lo para atuar ao lado de Carmelo Anthony e formar uma grande equipe com condições de buscar o título. O jogador já fez declarações sobre o assunto, e diz que no momento está focado apenas no Memphis Grizzlies.

Para Ainge, Celtics está fazendo um grande trabalho

Todos aqui sabemos que o Boston Celtics está passando por uma reconstrução em consequência das saídas de Paul Pierce, Ray Allen, Kevin Garnett e do comandante Doc Rivers. Mesmo assim, para o gerente da franquia, Danny Ainge, o trabalho feito pelo técnico Brad Stevens está sendo fantástico e contagiando todo o núcleo celta. Segundo a equipe do Paixão NBA, o Celtics deve vencer menos de 30 jogos e ficar na 12ª colocação no leste. 

Mario Chalmers perde a titularidade

Ao que tudo indica, o Miami Heat tem novo armador titular: Norris Cole. Mario Chalmers ficou quatro anos entre o quinteto titular, no entanto as más atuações nas finais de 2014 abriram os olhos de Erik Spoelstra, que já declara aos jogadores quem será o armador titular. No elenco ainda tem Shabazz Napier, que foi escolhido através do Draft e também encantou muito na preseason. 

Barea com os dias contados em Minneapolis 

Campeão em 2011, o porto-riquenho J.J. Barea está com os dias contados no Minnesota Timberwolves. Técnico e gerente da franquia, Flip Saunders, espera cortar Barea depois de não aprovar o seu estado físico atual. A chega de Mo Williams é outro fator. O pensamento do atleta é regressar a Dallas, time pelo qual ele ganhou o seu anel de campeão. Na sua última temporada, anotou média de 8,4 pontos e 3,8 assistências.

Preview Paixão NBA - Divisão do Atlântico


Quatro divisões já foram postadas. Chegou a hora do Atlântico! Como foi a offseason e quem é o destaque de Raptors, Knicks, Nets, Celtics e Sixers? A temporada regular da NBA está muito próxima de voltar. Com vocês, o penúltimo o preview Paixão NBA!

*Um trabalho de Matheus Cezar (@paixaonba), Ariel Paiva (@tripledouble_) e Felipe Torquini (@toerquini)

Preview Paixão NBA - Divisão Sudeste


O time do Canadá ressurgiu após trazer, e principalmente depois de se livrar, Rudy Gay. As expectativas de playoff ressurgiram em Toronto, e assim a equipe o fez, mesmo com a eliminição precoce. Agora o Raptors conta com dois brasileiros no elenco, Bruno Cabloco e Lucas “Bebê”, e praticamente se tornou o Brasil na NBA. O Raptors tem qualidade para dar o passo adiante nesse fraco Leste, basta maturidade e regularidade dos seus jogadores, principalmente Terrence Ross e DeRozan. 

PG: Kyle Lowry 
SG: Terrence Ross 
SF: DeMar DeRozan 
PF: Amir Johnson 
C: Jonas Valanciunas 

Destaque: Kyle Lowry chegou a ser especulado para fechar mais um Big 3 em Miami, junto com Bosh e Wade, mas recebeu um contrato gordo da franquia dirigida por Masai Ujiri e permanece em Toronto, agora como protagonista e assumindo de vez a titularidade da equipe. O armador alcançou seu auge em números na temporada passada, aonde teve médias de 17.9ppg, 7.4apg, 4.7rpg e 1.5spg.

New York Knicks (43-39, 7º no leste)

Phil Jackson! Phil Jackson! Triângulo! A torcida do Knicks passa a morrer de amores, e com razão, pelo técnico mais vitorioso da história da NBA. P-Jax já virou praticamente um faz tudo na franquia. Derek Fisher, contratado como técnico, deve ser fantoche do atual presidente de basquetebol da franquia. A franquia de Nova Iorque passou por uma mini-reformulação e neste processo renovou com sua principal estrela: Carmelo Anthony. O time vem desacreditado, cheio de mudanças e com experiências a serem feitas. Ás vezes andar abaixo do radar, o que pode ser impossível em NY, é bom para um time. Veremos. 

PG: Jose Calderon 
SG: Iman Shumpert 
SF: Carmelo Anthony 
PF: Amar’e Stoudemire 
C: Samuel Dalembert 

Obviamente, Carmelo Anthony é o grande astro da franquia. O ala, dono da mecânica de arremesso mais bonita da história da NBA, chega á sua décima terceira temporada na liga no auge do alinhamento entre experiência e forma física. Infelizmente, seus companheiros não tem a mesma técnica que ele, portanto Melo terá que correr atrás do seu primeiro anel com mais ímpeto do que nunca.

Brooklyn Nets (43-39, 8º no leste)

Após dois fracassos seguidos na tentativa de chegar á NBA Finals no melhor estilo Real Madrid, juntando várias peças avulsas em busca de vitória rápida, o Nets perdeu sua badalação. Mandou embora Jason Kidd e deixou Pierce dar no pé. Lionel Hollins agora é o treinador da franquia que somente trouxe Jarrett Jack de relevante nesta offseason. A esperança é que o novo coach arrume a casa e coloque todo mundo pra correr na defesa. Kevin Garnett e Joe Johnson já começam a ficar mais pra lá do que pra cá, mas ainda tem algo para gastar (nem que seja saliva, né Garnett?).

PG: Deron Williams
SG: Joe Johnson
SF: Andrei Kirilenko
PF: Kevin Garnett
C: Brook Lopez

Se saudável, Brook Lopez é a principal peça desta equipe. O pivô, que é contestado por pegar somente 6rpg com seus 2,13m de altura, é protagonista e principal arma ofensiva da equipe, visto as limitações de Kevin Garnett, além de formar com este um dos melhores, ou pelo menos um dos maiores, garrafões da NBA.

Boston Celtics (27-55, 12º no leste)

O Celtics ainda vive órfão de Kevin Garnett e Paul Pierce. Ao menos, se mexeu para trazer peças novas e conta com a volta de Rajon Rondo para buscar playoffs nessa temporada. Marcus Smart e James Young são dois prospectos muito interessantes, principalmente em uma possível saída do astro Rajon Rondo. Jeff Green e Olynyk cada vez mais assumem papel importante nessa equipe, nos resta saber se a equipe do TD Garden vai conseguir sair do fundo de tabela para uma equipe competitiva de um ano pra outro.

PG: Rajon Rondo
SG: Avery Bradley
SF: Jeff Green
PF: Jared Sullinger
C: Kelly Olynyk

Destaque: O armador que voltou já no fim da temporada passada de uma lesão grave, vai ser o X Factor desse time. Boas atuações, ou atuações “estupendas” dele devem significar vitórias do Celtics, visto que sua facilidade em fazer os companheiros de time produzirem mais torna o time algo perigoso. Rajon Rondo voltou na temporada passada e não conseguiu liderar o time de Boston a muitas vitórias, veremos como será com um trabalho desde o início da temporada.

Philadelphia 76ers (15-67, 15º no leste)

O Sixers assumiu, desde a troca do Jrue Holiday que está em uma reconstrução profunda. Trouxe o maior número de jogadores possível via draft (até os que não podem jogar ainda) e não se importam nem um pouco em perder todas as partidas da temporada, aliás é esse o objetivo. Espera-se uma temporada melhor ou tão boa quanto de Michael Carter-Williams, que ganhou o Rookie of the Year na última temporada. O mundo está ansioso também para ver Nerlens Noel em ação na NBA pela primeira vez, visto que na temporada passada não atuou para tratar seu joelho. 

PG: Michael Carter-Williams
SG: K.J. McDaniels
SF: Hollis Thompson
PF: Nerlens Noel
C: Henry Sims

Michael Carter-Williams, no meio de tantas nabas e cones, é o astro da franquia em reconstrução. 16.7ppg, 6.3apg, 6.2rpg e 1.9spg foram as médias do jogador na sua temporada de estreia. Repito: De estreia! O armador, pelo qual não se dava nada no draft, muito menos depois, já impressinou na sua primeira partida, quando enfrentou o Miami Heat e roubou a cena. MCW ainda deve ter muito para mostrar, resta a nós darmos audiência pro garoto.